Vê-los a sofrer

26 Jun

Foi um sonho.

Não daqueles de “férias-que-nunca-mais-vou-esquecer”, mas daqueles que acontecem quando fechamos os olhos. Quando dormimos. Mas foi um sonho aflitivo. Sim, como um pesadelo. Estávamos um grupo de amigos numa casa, e perto havia um vulcão, que entrou em erupção. Eu sabia que a lava estava a ir na direcção da casa e que tínhamos que fugir o mais rapidamente possivel. Mas não conseguia convencer ninguém. Apesar dos pedidos insistentes, da urgência, da argumentação…nada. A malta ficava lá, sempre com umas conversas meio estranhas sem grande justificação ou lógica – não fosse isto ser um sonho – e eu em grande agitação, não conseguia convencer ninguém a fugir da lava estava cada vez mais próxima. E não me lembro de mais.

Por vezes os sonhos deixam um lastro no nosso dia. Arrastam-se para as horas mais lúcidas como uma lembrança vaga e imprecisa, mas que está presente. E este fez-me pensar como às vezes sabemos que há aí um vulcão que vai magoar as pessoas de quem gostamos. E que apesar dos nossos esforços, nada conseguimos fazer para impedir isso.

Parece-me que das coisas mais difíceis da vida é ver as pessoas de quem mais gostamos a sofrer. E como se isso não bastasse, é ver que somos impotentes para as tirar desse sofrimento. Como uma mãe , um filho, um amigo, uma namorada, que não conseguem aliviar o sofrimento do outro. É tão difícil vê-los a sofrer.

E isto tudo é muito intrigante, bonito, perigoso e misterioso.
1. Intrigante porque é realmente uma estupidez ver quem gostamos a sofrer. Ver alguém a chorar, magoado, doente, é uma estupidez. Olhar nos olhos a miséria e a pobreza, as violências e injustiças é quase um absurdo. Assistir aos mil e um sofrimentos que a vida nos traz, sem grandes tréguas, é difícil. E intrigante porque muitas dores são provocadas precisamente por quem sofre – pela forma atrapalhada como aprenderam a viver. Talvez não devesse ser assim, mas simplesmente é.

2. Bonito porque significa que estamos ligados. Mas é uma beleza dura e selvagem. Realmente há laços entre nós que nos alimentam e definem, e quando uma parte de alguém sofre, nós também sofremos. Há uma contaminação do coração. Uma parte de nós que é feita de partes dos outros. Bonito porque só sofre quem ama.

3. Perigoso porque achamos que o bem-estar do outro depende de nós.Naturalmente devemos fazer o que conseguimos para ajudar, mas tantas vezes não há muito mais a fazer. Continuamos a achar que devíamos ser capazes de eliminar categoricamente o sofrimento dos nossos pais, amigos, irmãos. Ignoramos arrogantemente o que a vida traz dentro de cada sofrimento.
É que tantas vezes é-nos tão insuportável assistir pacificamente à dor, ao choro, à tristeza de quem gostamos. Queremos eliminar isso de forma definitiva. Mas é ainda mais perigoso quando o que procuramos eliminar é o desconforto que provoca em nós, e não o sofrimento da outra pessoa.

4. Misterioso porque é na medida em que somos capazes de aceitar o sofrimento de quem gostamos, que os ajudamos. É irónico como passamos anos a tentar ajudar alguém, e descobrimos que no momento em que aceitamos a dor como ela é, é precisamente aí que começamos verdadeiramente a ajudar. Aquela carga que depositamos ao lidar com a dor de quem gostamos, não ajuda. Estamos tão amarrados emocionalmente que não temos a distância e o fôlego para libertar. Por isso, ao sermos permeáveis à dor dos que nos são próximos, ao aceitarmos pacificamente o que faz o outro sofrer e a forma como nos faz sentir, aí sim começamos a ajudar. É misterioso porque não há libertação sem aceitação.

Por fim, será que sabemos – como no sonho – quando vem a lava, ou sequer se há lava? Não estou seguro.
Mas apesar disso, há circunstancias em que sabemos que uma pessoa está a sofrer. Mas também sabemos que para conseguir ajudar precisamos de estar no melhor da nossa humanidade. Precisamos de conviver tranquilamente com o sofrimento.
Sabemos também que oportunidades não faltarão.

5 Respostas to “Vê-los a sofrer”

  1. babilucatto 14 de Junho de 2016 às 0:59 #

    Lindo texto, descreveu exatamente o que eu sinto e me ajudou a refletir. Obrigada.

  2. João Delicado 27 de Junho de 2012 às 0:24 #

    Talvez ajudasse acrescentar a distinção entre dor e sofrimento:
    a dor… acontece; o sofrimento… é uma escolha minha.
    Devo perceber que de nada serve fugir à dor quando ela faz parte da vida.
    É exactamente quando tentamos fugir à dor que entramos em sofrimento.
    E é o mundo que nos ‘vende’ o mito de que a dor é algo a evitar quando a dor é algo a atravessar.

    • Inesperado.org 27 de Junho de 2012 às 10:04 #

      Obrigado João! realmente tendo a usar como sinónimos… Essa distinção fez-me lembrar “O caminho menos percorrido”, será que vem dai?

      Entretanto, atravessemos as dores!

      • João Delicado 5 de Julho de 2012 às 10:15 #

        Hum… já não me lembro se aprendi a distinção dor/sofrimento no livro do Scott Peck mas é uma noção de uso comum nos livros de psico-espiritualidade em geral.

        • João Delicado 12 de Dezembro de 2012 às 22:49 #

          Johnny! Lembrei-me de ti quando li este excerto num livro que ando a ler:

          “A minha experiência pessoal de sofrimento ensinou-me que o primeiro passo na direcção da saúde não é um passo para longe da dor, mas um passo na direcção da dor […]. Estou convencido de que frequentemente a cura é difícil porque não queremos conhecer a dor […]. A minha experiência pessoal com a angústia ensinou-me que enfrentá-la e vivê-la é o caminho para a cura […]. Procurar evitar, reprimir ou fugir à dor é como cortar membro que poderia, pelo contrário, ser curado com os devidos cuidados” [Henri Nowen, citado por Giovanni Cucci em ‘La forza dela debolezza’, p.229].

          Bom proveito!

Comenta aqui

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s