Como decidir o melhor caminho?

Na vida somos confrontados com desafios, projetos e decisões.

Quer estejamos a decidir sobre um trabalho, um curso ou uma viagem, como podemos saber se estamos a estabelecer um bom objetivo? Como saber se estamos a escolher o melhor caminho?

Pensemos nas nossas motivações interiores.

Imaginemos que estou a pensar ser médico. O que me motiva verdadeiramente? Ser médico pela riqueza, prestígio ou estatuto? Ou ser médico porque me apaixona estudar, compreender as doenças e servir os doentes? O que me está a motivar verdadeiramente? Se penso apenas no diploma e estatuto e não considero o próprio caminho de me tornar médico, devo ter cuidado.

Imaginemos que estou a pensar numa viagem que quero fazer. Se quero ir viajar apenas para contar onde estive ou para impressionar os outros, mais vale poupar o dinheiro e fazer algo que verdadeiramente me cative.

Pensemos em quem nos vamos tornar.

É sabido que mais importante do que o sítio onde chegamos é quem nos tornamos nesse caminho.

Valerá a pena chegar onde quero se pelo caminho me tornar uma pessoa egoísta, cínica ou zangada? Valerá a pena desprezar e ignorar os outros apenas para atingir o que quero?

E se pelo contrário, se eu não chegar onde queria mas tornar-me pelo caminho uma pessoa melhor e mais generosa? Não terá valido a pena na mesma?

Eddie Vedder num dos seus versos magníficos cantava: When I walk beside her, I am a better man… Serei eu melhor pessoa ao lado de quem estou? E este caminho torna-me melhor pessoa para os outros?

Pensemos no momento final.

Com certeza que chegar ao sítio que queríamos é bom e gratificante, mas lembremo-nos do que nos diz a campeã de ténis Martina Navratilova: O momento da vitória é demasiado curto para se viver acima de tudo o resto.

As vitórias e os triunfos passam demasiado rápido. Será que tirei gozo do próprio jogo, do próprio caminho?

Não tenhamos ilusões, o momento da chegada é apenas um momento. Que história contarão todos os dias, meses e anos até lá chegar?

Como é triste ver alguém ambiciosamente a subir alguma hierarquia durante anos, apenas para chegar lá a cima e perceber quão em baixo está.

Se dermos por nós a pensar na próxima escolha ou objetivo na vida, quer seja pequena ou grande… pensemos se o caminho nos cativa, pensemos que tipo de pessoa me vou tornar, pensemos como será no final.

Porque para cada novo desafio, é-nos colocada a questão: Se nunca chegasse onde queria, teria valido a pena ir por este caminho?

Autor: Inesperado

Viver com Alegria, ultrapassar dificuldades, ganhar liberdade

Comenta aqui

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s