Eles andam aí.

27 Nov

Anda por aí um grupo de radicais que está a deixar muita gente nervosa. Eles andam aí e são diferentes dos outros.

São loiros e são morenos. São pretos e são brancos. Vivem em ditaduras e vivem em democracias. Vivem na rua e vivem em casas modernas. São doutorados e são analfabetos. São casados e são solteiros. Dão-se com os poderosos e dão-se com os pobres.

São os livres e andam aí de cabeça erguida.

Não fazem o que lhes dá na gana. Fazem o que querem fazer.
Os sentimentos não mandam neles.
Eles sabem que os sentimentos valem o que valem. E a liberdade vale o que vale.

Eles não correm à força do castigo ou da recompensa. Eles correm porque querem correr.Eles vivem muito e sonham muito. Eles contagiam os sítios por onde passam.

Respiram um ar mais leve, porque os pulmões são deles.

Os livres não culpam os outros pelo que foi feito deles.
Os livres assumem 100% a responsabilidade pelas suas decisões. E pela sua vida. As crises, os governos, as doenças, não lhes roubam nada.
Eles têm a vida toda nas mãos. E não deixam nada de parte.
Têm sempre a última palavra. Mesmo que seja: está bem, querida vida.

Os livres são livres quando têm muito por onde escolher. E quando têm pouco por onde escolher.
Os livres sabem obedecer a si próprios.
Os livres sabem obedecer aos outros.
Eles gostam da verdade. E a verdade gosta deles.
Não vivem nem amanhã, nem ontem, nem noutro sítio. Os livres vivem aqui e hoje.
Eles sabem viver e sabem morrer.

Não gostam dos outros para serem gostados. Gostam porque gostam.
Sabem que um aplauso vale o que vale. E que a liberdade vale o que vale.

Os livres vivem comprometidos a fundo.
Sabem dizer que não. E não outra vez. E sabem dizer que sim.

Os livres são capazes de rasgar tudo o que foi feito.
E de coser o que está desfeito.
Eles fazem o que devem fazer. Doa a quem doer.
Eles sabem que os respeitos humanos e formalidades valem o que valem. E a liberdade vale o que vale.

Os livres estão a transformar o mundo por dentro.
Estão sempre a multiplicar a liberdade deles, e a dos outros.
Eles andam aí, e o que mais querem é mais gente livre.

18 Respostas to “Eles andam aí.”

  1. Paulo Pires 12 de Setembro de 2013 às 18:36 #

    A vida sem liberdade não faz sentido;
    Saudades…

  2. Uno Michaels 12 de Setembro de 2013 às 12:01 #

    Gosto! Muito! * Abraço… Grato *

  3. Sofia Villas-Boas 27 de Novembro de 2012 às 13:13 #

    Muito bom!

  4. Marta Figueiredo 27 de Novembro de 2012 às 12:56 #

    Muita bom joão! Mesmo.

  5. Inês Leitão Henriques 27 de Novembro de 2012 às 12:43 #

    Brutal João!

  6. Gui 27 de Novembro de 2012 às 12:19 #

    Very nice

  7. Ana Líbano Monteiro 27 de Novembro de 2012 às 12:07 #

    João, fantástico! Muito bom mesmo! Espero que muitos o leiam porque dá muito em que pensar, não é de consumo imediato. PARABÉNS!

  8. João Pissarra 27 de Novembro de 2012 às 11:53 #

    freeman… muito bom!

  9. Miguel Bandeira 27 de Novembro de 2012 às 11:49 #

    Rebentaste tudo com este, João :) muito bom

Trackbacks/Pingbacks

  1. A alergia ao compromisso | Inesperado - 31 de Dezembro de 2013

    […] vem da ideia que o compromisso é uma prisão. Achamos que é uma coisa que nos vai tirar liberdade e nos vai amarrar a coisas que não sabemos se […]

Comenta aqui

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s